Camarões

Situado na costa oeste da África, mais precisamente na África Central,           Camarões ou República dos Camarões é um dos países mais culturais do continente africano, muitas vezes sendo chamado de ‘’África em miniatura’’, por conta da presença de diversos grupos étnicos que residem no território, sendo aproximadamente 230 grupos. 

Bandeira do País - Fonte: Web

Tem como capital a cidade de Yaoundé e possuindo muitos recursos naturais como praias, montanhas, desertos, savanas e florestas tropicais, o país tem cerca de 20 milhões de habitantes no país, as línguas oficiais do país são o francês e o inglês, mesmo que a população utilize de 270 idiomas diferentes. O país teve sua nomenclatura após a chegada de exploradores portugueses que nomearam a área devido ao Rio dos Camarões.

Após a Primeira Guerra Mundial, o local foi separado entre França e Grã-Bretanha, com isso foi criado um partido politico que defendia a independência do país (a Union des Populations du Cameroun, em francês), partido esse que foi proibido em 1950 pela França, fazendo com que diversas batalhas entre as forças francesas e o partido se iniciassem e continuassem até 1971. No dia 01 de Janeiro de 1960, a parte ‘’francesa’’ de Camarões se tornou independente, se tornando República dos Camarões, no dia 01 de Outubro do ano seguinte, a parte administrada pela Grã-Bretanha teve sua independência, se fundiu com a outra parte e formar a Republica Federal dos Camarões, com o país sendo renomeado para Republica Unida e posteriormente para como é conhecido atualmente, Republica dos Camarões.

Camarões, em comparação com outros países do continente, tem uma boa estabilidade social e política, permitindo o desenvolvimento de diversas áreas como a industrial com madeira e petróleo, na parte de agricultura, pavimentação e ferrovias, e, embora tenha grandes avanços nessas partes, uma boa porcentagem de habitantes vivem na pobreza, tendo como único meio a agricultura de subsistência.

Fontes: infoescola, Wikipédia US, mundoeducacao.

Economia do país

Quando se trata de economia, Camarões passou por diversos altos e baixos, tendo um significativo crescimento entre 1977 e 1985, por conta do petróleo e agricultura, o que acabou por declinar na década de 80, por conta de termos de comércio que dificultaram, aumento nos gastos públicos e a longínqua disputa com a Nigéria, acabando por realizar ajustes na politica do FMI (Fundo Monetário Internacional) em 1988.

Mesma com estes acontecimentos, Camarões ainda permanece com vastos recursos de mineração, agrícolas e petrolíferos, acabou por se recuperar em 1994 com a desvalorização de sua moeda oficial (Franco CFA), ajustando a economia, apenas tendo crescimentos, mesmo que frágeis, de acordo com dados de 2006, a produção de cacau e algodão, chegou a 164.553 e 58.000 (respectivamente).

Como dito anteriormente, a economia do país ainda está em um desenvolvimento e em um década de recesso econômico, já estando com umas das melhores rendas per capita da África Subsaariana, o país cultiva bastante algodão, mandioca, cacau, café e sorgo (setor que anteriormente era a espinha dorsal do país, antes do crescimento do petróleo), isso no ramo de agricultura, se expandindo para petróleo, calcário, um bom setor alimentício e de bebidas e também o madeireiro.

Fontes: Wikipédia US, infoescola.

Turismo

Camarões é dos destinos mais propícios para o turismo no continente, seja por seus antigos reinos tribais, grandes florestas, praias, ou por conta de sua grandiosa diversidade étnica, com um misto de muitas culturas e com uma geografia peculiar. O país uma incrível gama de localidades que valem a pena serem vistas, como o Monte Camarões, um estratovulcão ativo que se ergue até 4.000m de altitude, sendo o mais alto da África Ocidental, ou o Porque Nacional de Waza, local onde é possível avistar mamíferos, aves e manadas de elefantes.

Fonte: Via Web

Além de diversas atrações naturais, Camarões também conta com Douala, um dos mais visitados centros econômicos com uma marcante estrutura social e, não podendo faltar, a capital Youndé, que mistura tradição a modernidade nos dias atuais.

 

Fontes: almadeviajante.com, mundoeducação, Wikipédia US.

IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO

Exportação

Na área de exportação, com dados de 2017, Camarões exportou cerca de US$ 4.27 bilhões, se tornando o 111º maior exportador do mundo, sabe-se que as exportações diminuíram um percentual de -4.1% em comparação com 2012, os produtos mais exportados são:

  • Petróleo Bruto

  • Madeira Serrada

  • Cacau

  • Banana

  • Algodão

  • Madeira Bruta  

 

Tendo como principais destinos:

  • Bélgica

  • China

  • França

  • Holanda

  • Italia

  • Luxemburgo

iMPORTAÇÃO

Importando cerca de US$ 5.88 bilhões em 2017, Camarões se tornou o 118º maior importador do mundo, semelhante as exportações, as importações deram uma leve declinada em um comparativo com 2012, diminuindo cerca de -2.6%, os produtos mais importados pelo país são:

 

  • Petróleo Refinado

  • Navios

  • Medicamentos embalados

  • Arroz

  • Telefones

  • Caminhões de entrega

  • Trigo

 

Sendo as principais origens:

  • China

  • Congo

  • França

  • Nigéria

  • Tailândia

 

Fonte: OEC (Via Atlas).

Portos de camarões

Camarões tem 6 portos, sendo que Douala é o mais movimento e o mais importante entre eles, com os portos sendo: Kribi (Existindo também o Kribi Sul, porto utilizado para exportar minério de ferro), Limbé, Garoua e Tiko.

Porto de Douala-Bonaberi

Fonte: Via Web

Localizado nas margens do estuário do Rio Wouri, Douala é uma cidade que possui diversas rotas rodoviárias, ferroviárias e aéreas para as principais cidades de Camarões, este porto, por ser o principal, abria a maior parte do comércio internacional do país, com diversas instalações para certas cargas como banana, gasolina, madeira e bauxita por exemplo. Por estar entre os centros industriais mais importantes da África Central, o local é lar de fabricas de processamento, cervejarias, vidro, bicicletas, entre outros, incluindo uma instalação de reparo de navios.

No quesito infraestrutura, o porto de Douala conta com onze berços de cargas, nove dedicados ao movimento de carga geral e oferecem 58 mil metros quadrados de armazenamento, as instalações de manuseio de madeira do Porto de Douala incluem 200 mil metros quadrados com pátios de empilhamento, no total, o porto tem o equivalente a 2300 metros de cais, com o terminal de contêineres possuindo três berços e capacidade pra cinco mil TEUs.

Conta também com Bonaberi, um porto que fica no 4º distrito de Douala, servida por uma estação ferroviária nacional.

Fonte: Word Port Source.

Porto de Kribi

O porto de Kribi fica localizado no Golfo da Guiné, cerca de 320Km do sul de Douala, possui 16 metros de profundidade e é equipado com uma infraestrutura de alto tecnologia, com um terminal de contêineres acessível aos navios que transportam 8.000 contêineres em sua carga, graças a seus 615m de caís, pode receber 2 navios de 290m transportando 50.000 Ton de commodities, mais que o dobro que o porto de Douala que suporta no máximo 20.000. Em 2018, foi relatado que 274 navios foram pra este porto, processando mais de 6.4 milhões de toneladas de mercadoria, sendo que a madeira constitui a maior parte da exportação e a cevada maltada a maior parte da importação.

Ao sul de Kribi tem um pequeno porto ao sul que exporta minério de ferro a cerca de 500 KM de distância, mais especificamente em Grand Batanga, naturalmente não existe porto em Kribi, fazendo com o porto esteja a vários quilômetros da costa, onde a água é mais profunda e mais adequada para navios de grade porte.  

Fonte: DLCA

Fonte: Via Web

Porto de Garoua

Fonte: Via Web

A cidade portuária de Garoua fica localizada no Rio Benué, o porto sazonal atende as regiões norte de Camarões e o trafego maior vem da Nigéria, o porto fica ativo apenas por 3-4 meses por ano durante a estação chuvosa, que varia de maio a agosto.

 

Devido a uma série de fatores, o tráfego diminuiu significativamente por conta de uma série de fatores como a insegurança da região e a construção de uma barragem em Lagdo, perto de Garoua, fazendo com que o volume de água drenada do Rio Benué diminuísse, o porto opera principalmente de junho a outubro (estação chuvosa), com o trafego se limitando a canoas grande com motor de polpa, quando não está na estação chuvosa (Setembro a Maio), o trafego é bem menor.

O porto tem aproximadamente 250m de caís, sendo apenas 2 caís no total, 12.000 de pátio de estocagem e 6 armazéns de 4.800m.

Fonte: DLCA

Porto de Limbé-Tiko

Fonte: Via Web

Limbé é uma cidade portuária que fica na região sudoeste de Camarões, é a centro da indústria petrolífera do país, tendo outras importantes industrias como a da pesca e a do turismo, é também um dos quatro portos comerciais do país.

O Porto de Limbé-Tiko é um complexo com duas portas de entrada, mas sendo um porto, as instalações são projetadas essencialmente para o manuseio de produtos vindos do petróleo na unidade de refinaria que tem na cidade, pelo fato da refinaria de petróleo de Camarões se encontrar em Limbé, e também para a exportação de madeira, a infraestrutura do porto inclui 3 armazéns de 1.638m cada, um pátio de armazenamento de madeira, 3 guindastes fixos e um galpão equipado com rampa de lançamento.

Fonte: DLCA

Consulado e embaixada no Brasil

Endereço: SHIS QI 15, conj. 14 casa 17. Brasília-DF. CEP: 71635-340

Telefones: (61) 3248-5403 e (61) 3248-2400

Telex: 61-2235 EMRC BR

Fax: (61) 3248-0443

Expediente: segunda a sexta-feira de 09:00 as 15:00

Fonte: Via Web